Temperos

Sheila Duarte Dias
23/09/2017 - 20:45:58
Formação em gastronomia pela Anhembi Morumbi, experiência em cozinhas clássica, asiática, brasileira e entre outras. Experiência em serviço à la carte, finger food e buffet. Criatividade e inovação, otimização do serviço, fluidez e qualidade do serviço.


Mais detalhes do usuário Voltar

Ao utilizar ervas de qualidade e de maneira forma correta, incluisive os pratos mais simples ganham sabores surpreendentes.
Alecrim
Principais características: erva aromática de folhas espinhosas e sabor forte, marcante, com notas levemente amadeiradas.
Melhor forma de uso: ao contrário da maioria das ervas, o alecrim não perde seu sabor no cozimento e pode ser utilizado tanto seco quanto fresco.
Combina bem com: carnes, como cordeiro, porco, aves e peixes. O ideal é massagear as folhas diretamente na carne antes de assar. Também dá um sabor especial a refogados de legumes, omeletes, frutos do mar e molhos. Pode ser utilizado para aromatizar azeites e vinagres.
Alho
Principais características: presença obrigatória na maioria dos pratos, é um dos ingredientes essenciais em toda cozinha. É alimento de sabor e odor fortes e picantes.
Melhor forma de uso: bastante versátil, pode ser utilizado cru, refogado, assado, inteiro, moído ou picado. Também pode ser batido com outros temperos para preparar pastas para torradas e assados.

Combina bem com: todo tipo de receitas – carnes, molhos, legumes refogados, feijão, grão-de-bico, sopas, arroz e massas.

Canela
Principais características: casca de uma árvore, a canela tem sabor picante e terroso e aroma marcante.
Melhor forma de uso: em pó, lasca ou pau. No preparo de receitas, prefira sempre a versão in natura e triture na hora, com a ajuda de um pilão ou moedor. Assim, você aproveita melhor o sabor e aroma da especiaria.
Combina bem com: compotas, bolos, pães, tortas, cremes e outros doces. Além disso, pode ser usada para preparar receitas de vinho quente e quentão. A especiaria faz par perfeito com açúcar, mas também vai bem em pratos salgados, especialmente em assados, cozidos de porco e receitas com carne moída, como almôndegas.
Cebolinha
Principais características: de sabor delicado e textura levemente crocante, junto com a salsa, forma o popular cheiro-verde.
Melhor forma de uso: tanto o bulbo quanto as folhas podem ser utilizadas no preparo dos pratos. A cebolinha deve ser usada fresca para aproveitar o melhor do aroma e sabor. A forma mais comum de consumo é cortada em pequenas rodelas.
Combina bem com: a maioria dos salgados, como carnes, peixes, refogados, omeletes, saladas e sopas. Também é muito utilizada para decorar os pratos, mas é importante adicioná-la apenas ao final do cozimento, pouco antes de servir, para garantir o frescor.
Coentro
Principais características: erva muito consumida nos países asiáticos e do Oriente Médio, é bem presente nas culinárias típicas das regiões Nordeste e Sudeste do Brasil. Também conhecida como salsa chinesa, seu sabor é forte e levemente cítrico. O aroma é intenso. Dá um toque refrescante aos pratos.
Melhor forma de uso: as folhas devem ser utilizadas frescas e acrescentadas ao final do cozimento, pois o calor interfere no sabor.
Combina bem com: conservas, sopas, aves, carneiros e ensopados. Sua maior aplicação, no entanto, é no preparo de peixes, tanto assados como em cozidos e moquecas. O sabor da erva equilibra o aroma do peixe e ainda atenua o sabor de outros ingredientes picantes.
Colorau
Principais características: tempero preparado à base de sementes secas de urucum trituradas e misturadas ao pó de outras sementes – normalmente o milho. Não confundir com o colorau português que, apesar do nome semelhante, é o tempero que no Brasil chamamos de páprica, feito a partir de pimentões secos moídos. O colorau possui uma cor que vai do amarelo-alaranjado ao vermelho e sua função é colorir os alimentos, sem modificar o sabor.
Melhor forma de uso: em pó.
Combina bem com: receitas de arroz, farofas, molhos, carnes assadas, frangos, sopas, pães e também para colorir cremes e manteigas.
Cominho
Principais características: é uma semente de uma planta originária do Oriente Médio e da África. Seu sabor ligeiramente picante dá um toque especial aos pratos salgados, especialmente em receitas  de origem árabe, indiana, portuguesa ou mexicana.
Melhor forma de uso: comercializado inteiro ou em pó, se possível, compre a semente e triture em casa, pois o pó comprado pronto é, muitas vezes, misturado com outras sementes. Antes de moer, toste as sementes para diminuir o amargor.
Combina bem com: carnes vermelhas, molhos, cremes, legumes, sopas e pães.
Cravo
Principais características: a semente é considerada um tempero aromático e possui um sabor doce, forte, quase quente e de suave picância.
Melhor forma de uso: com os cabinhos, pode ser utilizado para decorar pratos doces e salgados. A versão em pó, menos popular no Brasil, também pode ser empregada, mas deve ser usada com moderação, por ser mais forte.  
Combina bem com: pudins, pães doces, arroz doce, compotas, bolos de carne e assados.
Gengibre
Principais características: tempero muito usado na cozinha brasileira, principalmente na região Norte, possui um aroma adocicado e sabor forte e picante.
Melhor forma de uso: as raízes podem ser utilizadas inteiras e frescas ou secas e moídas ou raladas.
Combina bem com: carnes, peixes, camarão, arroz, doces, bolos, pães, biscoitos e conservas.
Hortelã
Principais características: muito comum na culinária árabe, também agrada o paladar brasileiro e conquistou seu espaço em receitas nacionais graças ao sabor leve e refrescante.
Melhor forma de uso: as folhinhas aromáticas são geralmente usadas frescas, mas podem ser congeladas já picadas. 
Combina bem com: molhos para saladas, sopas, carnes, peixes e também em bebidas refrescantes ou drinques de frutas cítricas.
Louro
Principais características: extremamente aromática, a folha libera um óleo leve e saboroso. Por isso, combina com pratos de cozimentos longos.
Melhor forma de uso: quando seco, o louro pode ser guardado por até um ano. Você pode comprar as folhas frescas e deixá-las em um local seco e aquecido até que fiquem desidratadas. Após o cozimento do prato, as folhas devem ser retiradas, pois não têm sabor agradável.
Combina bem com: feijão, carnes assadas, ensopados, molhos, conservas, marinadas, sopas e legumes cozidos.
Manjericão
Principais características: possui folhas redondas e crespas, de aroma e sabor marcantes. Existem inúmeras variações da erva e a maioria pode ser cultivada em casa, em pequenos vasos.
Melhor forma de uso: fresco ou seco. A secagem, no entanto, faz com que a erva perca um pouco de sabor. Prefira consumir fresco ou congelado.
Combina bem com: carnes, assados, queijos, tomates recheados, molhos e massas. É o principal ingrediente do pesto.
Noz-moscada
Principais características: de sabor levemente adocicado e aroma muito forte, a noz-moscada é ingrediente poderoso para dar sabor aos mais diferentes tipos de pratos. Mas deve ser usado com moderação, pois pequenas quantidades já dão sabor à receita.
Melhor forma de uso: pode ser encontrada em sementes e em pó. Quando moída na hora tem seu sabor adocicado melhor conservado.
Combina bem com: bolos, sobremesas, carnes, molhos brancos e bebidas.
Orégano
Principais características: erva bastante ramificada, com folhas pequenas e ovais. O orégano possui um forte aroma e um sabor mais amargo.
Melhor forma de uso: pode ser utilizado tanto fresco quanto seco. As folhas secas possuem um sabor mais acentuado.
Combina bem com: pizzas, molhos de tomate, ensopados, abobrinha e berinjela.
Pimenta-do-reino
Principais características: uma das especiarias mais utilizadas no mundo todo, possui três versões, que são, na verdade, variedades do estado de maturação da mesma semente. A verde (fresca) é bem suave e normalmente encontrada em conserva. A preta é a mais popular e é a semente já madura, com sabor forte e marcante. A branca é a pimenta madura, mas sem casca. O sabor é um pouco mais suave do que o da pimenta preta. Todas as variedades têm uma leve picância. 
Melhor forma de uso: a semente pode ser encontrada seca inteira ou em pó. Priorize a utilização da semente moída na hora pois, assim, seu sabor e aroma se mantêm.
Combina bem com: praticamente todo tipo de receita salgada, de carnes vermelhas, aves, molhos, refogados, massas e cremes salgados.



Compartilhar